FELIPE FRAGA-STOCK-CAR
FELIPE FRAGA É O NOVO MILIONÁRIO DA STOCK CAR
Share Button

Felipe Fraga é o mais novo milionário da Stock Car. Ele se junta a Thiago Camilo (2011, 2012 e 2015), Ricardo Maurício (2010), Ricardo Zonta (2013), a Rubens Barrichello (2014) e a Valdeno Brito (2008) como vencedor da Corrida do Milhão. O tocantinense da Cimed Racing teve a companhia de Barrichello, segundo, e Brito, terceiro, no pódio da sétima etapa, realizada na manhã deste domingo (11) em São Paulo, no Autódromo de Interlagos.

Com arquibancadas cheias, a expectativa era de uma corrida extremamente movimentada. O que acabou confirmado. Rubens Barrichello, largando da pole position, esperava repetir o feito de 2014, quando saiu na frente e faturou a corrida. No entanto, ele não contava com a estratégia do oponente de 20 anos.

Na quarta volta da prova Fraga, que largada da quarta posição e havia se beneficiado com os abandonos de Ricardo Maurício (segundo no grid) e Marcos Gomes (terceiro) – ambos se tocaram ainda na primeira volta, causando a exclusão do piloto da Eurofarma pelos comissários desportivos -, ultrapassou Rubens Barrichello na Curva do Lago. O campeão de 2014 ainda resistiu conseguindo passar de novo, mas era do piloto da Cimed a preferência para a curva seguinte, no Laranjinha.

“A equipe passou a noite pensando na melhor estratégia para o uso do push to pass. Feito isso, usei o push no Laranjinha, onde não se ganhava nada, mas na volta seguinte eu conseguia usar na reta, já que não dava para acionar, na mesma volta, o botão na reta dos boxes e na oposta”, explicou Fraga. “Fiz isso, o Barrichello caiu na nossa armadilha e consegui a ultrapassagem. Depois ele até usou a mesma artimanha, mas não conseguiu me passar”, lembrou.

O botão de ultrapassagem tinha um funcionamento diferenciado na Corrida do Milhão. Os intervalos entre os acionamentos eram de 60 segundos, com um delay de 12 entre apertar o botão e o funcionamento do sistema, que entregava potência extra durante 45 segundos.

Dali em diante, Fraga manteve o controle sobre a situação, administrando a vantagem sobre o piloto da Medley-Full Time, que variava entre 0s6 e 1s2. Barrichello tentou investir no final, mas o líder do campeonato não permitiu a tentativa derradeira. “No começo da prova eu não quis brigar, porque a gente viu que o (Júlio) Campos e o (Ricardo) Zonta estavam chegando, então não adiantava. Tínhamos que criar um espaço para depois atacar na frente. Por um certo tempo eu achei que não ia ter jeito de pega-lo, mas fui ali economizando, comendo pelas beiradas – guiando agressivo, ao limite, mas deixando os pneus intactos. Faltando cinco voltas, quando cheguei no Fraga, já estava tudo no limite – tanto para mim como para ele. O Felipe tinha um ‘tequinho’ mais de reta, e quanto eu usei o push eu só consegui colocar de lado, bloqueei as rodas querendo entrar e surpreender. Mas ele guiou direitinho, como um campeão que merece o milhão”, elogiou.
FELIPE FRAGA STOCK CAR
Felipe Fraga lembrou que mesmo depois da bandeirada ele ainda não acreditava no que havia acabado de fazer. “Ainda não caiu a ficha. Essa corrida é muito legal, é especial. Quando cruzei a linha de chegada eu já vinha no rádio desde a chicane do Café falando para a equipe que eu ainda não acreditava que isso estava acontecendo na minha vida. Ganhar a corrida, um milhão de reais, toda a exposição que essa prova traz, tanta gente que assiste, e abrir ainda mais no campeonato. Estou muito feliz”, concluiu.

Fraga abriu de 21 para 33 pontos a sua vantagem na liderança. Mais do que isso, viu seu companheiro de equipe e adversário na disputa, Marcos Gomes, sair da corrida sem nenhum ponto. Assim, o atual campeão caiu do segundo para o sexto lugar. Max Wilson, quarto colocado na corrida, é o novo vice-líder, tendo Rubens Barrichello em terceiro, Valdeno Brito em quarto e Daniel Serra em quinto.

Primeiro vencedor da história da Corrida do Milhão, Valdeno Brito também foi um dos destaques da prova. Largando da 11ª posição, o piloto da TMG Racing foi ganhando postos – alguns na marra – para cruzar a linha de chegada em terceiro, formando um pódio composto somente por vencedores da etapa milionária. “Foi, literalmente, uma conquista suada. Durante todo o fim de semana eu tive um carro um pouco dianteiro, mas que isso para a corrida poderia acabar em vantagem, já que os pneus traseiros se desgastam mais. Eu e a equipe conversamos muito, e acertamos na veia com o carro. Uma largada e um ritmo muito bom a corrida inteira, o que ajudou a chegar neste terceiro lugar. Então sem dúvida é um pódio com gosto de vitória”, disse o paraibano.

Diego Nunes, Júlio Campos, Daniel Serra, Gabriel Casagrande e Vitor Genz fecharam os dez primeiros da Corrida do Milhão. A Stock Car volta a se reunir dentro de suas semanas, no dia 25 de setembro, para a oitava etapa, retomando o sistema de rodada dupla que marca o retorno da principal categoria do automobilismo brasileiro ao Autódromo Ayrton Senna em Londrina (PR).

CORRIDA DO MILHÃO – Resultado*:
1-) 88 Felipe Fraga (Cimed Racing) – 28 voltas em 47min16s057 (média de 153,3 km/h)
2-) 111 Rubens Barrichello (Full Time Sports) – 0s411
3-) 77 Valdeno Brito (TMG Racing) – 5s180
4-) 65 Max Wilson (Eurofarma RC) Racing) – 24s367
5-) 18 Allam Khodair (Full Time Sports) – 11s732
6-) 70 Diego Nunes (União Química Racing) – 14s078
7-) 4 Julio Campos (C2 Axalta Racing) – 18s585
😎 29 Daniel Serra (Red Bull Racing) – 22s508
9-) 83 Gabriel Casagrande (C2 Axalta g Team) – 38s496
10-) 46 Vitor Genz (Eisenbahn Racing Team) – 10s972
11-) 110 Felipe Lapenna (Hot Car Competições) – 38s542
12-) 26 Raphael Abbate (Hot Car Competições) – 43s129
13-) 3 Bia Figueiredo (União Química Racing) – 44s248
14-) 28 Galid Osman (Ipiranga-RCM) – 50s220
15-) 56 Danilo Dirani (RZ Motorsport) – 51s136
16-) 63 Nestor Girolami (Eisenbahn Racing Team) – 53s831
17-) 21 Thiago Camilo (Ipiranga-RCM) – a 1 volta
18-) 0 Cacá Bueno (Red Bull Racing) – a 2 voltas
19-) 73 Sergio Jimenez (Cavaleiro Sports) – a 2 voltas
20-) 51 Átila Abreu (Shell Racing) – a 2 voltas
21-) 11 Cesar Ramos (RZ Motorsport) – a 5 voltas
22-) 10 Ricardo Zonta (Shell Racing) – a 6 voltas
23-) 74 Popó Bueno (Cavaleiro Sports) – a 6 voltas
NÃO COMPLETARAM
24-) 8 Rafael Suzuki (Vogel Motorsport) – a 16 voltas
25-) 9 Guga Lima (TMG Racing) – a 24 voltas
26-) 12 Lucas Foresti (Full Time-ProGP) – a 24 voltas
27-) 5 Denis Navarro (Vogel Motorsport) – a 25 voltas
28-) 80 Marcos Gomes (Cimed Racing) – a 27 voltas
29-) 90 Ricardo Mauricio (Eurofarma RC) – excluído
MELHOR VOLTA: Julio Campos, 1min40s066 (155,2 km/h)
*Resultados sujeitos a verificações técnicas e desportivas

CLASSIFICAÇÃO DO CAMPEONATO APÓS 7 ETAPAS:
1-) Felipe Fraga – 163 pontos
2-) Max Wilson – 130
3-) Rubens Barrichello – 124
4-) Valdeno Brito – 122
5-) Daniel Serra – 117
6-) Marcos Gomes – 112
7-) Diego Nunes – 108
😎 Cacá Bueno – 105
9-) Vitor Genz – 98
10-) Allam Khodair – 92
11-) Ricardo Zonta – 88
12-) Átila Abreu – 86
13-) Ricardo Maurício – 81
14-) Julio Campos – 72
15-) Galid Osman – 70
16-) Sérgio Jimenez – 68
17-) Thiago Camilo – 64
18-) Gabriel Casagrande – 61
19-) Rafael Suzuki – 61
20-) Felipe Guimarães – 51
21-) Denis Navarro – 48
22-) Guga Lima – 42
23-) Bia Figueiredo – 41
24-) Felipe Lapenna – 36
25-) Raphael Abbate – 35
26-) Lucas Foresti – 34
27-) Popó Bueno – 34
28-) Nestor Girolami – 26
29-) Danilo Dirani – 19
30-) Luciano Burti – 11
31-) Fábio Carbone – 2
32-) Alceu Feldmann – 0
33-) Cezar Ramos – 0
34-) Thiago Marques – 0
35-) Beto Cavaleiro – 0

Posts Relacionados

Comentários no Facebook